jump to navigation

Melhor vazio do que mal ocupado 2011/05/27

Posted by alnbr - Revista de Opinião in 1.
trackback
O Brasil não tem uma classe dominante porque os que poderiam estar nela se venderam para não precisar concorrer em uma economia de mercado.

E agora, para não dar o braço a torcer e não precisar voltar atrás – significa reconhecer os crimes contra o Povo – vão manter a alma vendida à pior ralé que o povo brasileiro já produziu: os Trabalhadores.

Os que acreditam em deus, no proletariado e nos matizes “sociais” da ditadura da mediocracia – a OCLOCRACIA PROLETÁRIA.br – estão comprometidos com os crimes que cometeram em nome de deus, do proletariado e do “social”: um “empresário” é membro de um partido socialista e outro disputou a vice-presidência da “república” em uma chapa “verde” porque é “empresário” que explora a natureza.

Bispos e outros bichos do zôo político – até partido de militares com espôsas laranjas – fazem um cenário com nenhuma qualidade ideológica ou programática: estão todos “se defendendo” – o grito do “pega prá capar” dos nacionais socialistas, marxistas, fascistas, trabalhistas e comunistas calou fundo na alma pecadora dos empresários e capitalistas e todos querem ser “perdoados” pelos “trabalhadores”, e para isto pagam as “campanhas” dos “políticos” do Partido Nacional-socialista dos Trabalhadores do Brasil – PT, e adjacências ideológicas.
 
 São tão corruptos que aparelharam o discurso ambientalista para se apropriarem e negarem aos demais o direito de serem ambientalistas.

Visitem a página do ambientalismo brasileiro e vejam quem são os “pogreçiçtaç” (Lulês).

A FIESP é um aparelho de Estado Socialista e já pagou pelos Mensaleiros do apedeuta – a anta do Mainardi – e agora paga pelos trem-bala e outras porcarias – vai faturar na flexibilização das licitações para fabricar uma Copa – da camarada Estela – assassina, ladra, assaltante de bancos, sequestradora e torturadora.

F.A. Hayek – O Caminho da Servidão

Quando Hitler subiu ao poder na Alemanha, eu já ensinava havia vários anos na Universidade de Londres, mantendo-me, porém, sempre em contato estreito com os assuntos do Continente, o que tive condições de fazer até o início da guerra. O que assim pude observar sobre as origens e a evolução dos diversos movimentos totalitários fez-me sentir que a opinião pública inglesa, e meus amigos que abraçavam posições “avançadas” em matéria de questões sociais em particular, concebia aqueles movimentos de modo completamente errôneo. Já antes da guerra isso me havia levado a expor, num breve ensaio, o que se tornou o tema central deste livro. Após a eclosão do conflito, entretanto, senti que essa concepção distorcida, e tão generalizada, (10) acerca dos sistemas políticos de nossos inimigos, e logo depois também de nosso novo aliado, a Rússia, constituía perigo sério, que deveria ser enfrentado com esforço mais sistemático. E já era bastante evidente que após a guerra a própria Inglaterra talvez viesse a experimentar a mesma orientação política que, como eu estava convencido, contribuíra tanto para destruir a liberdade em outros países.

Exatamente porque nos próximos anos (PREFÁCIO DA EDIÇÃO NORTE-AMERICANA DE 1975) as ideologias políticas não parecem propensas a visar um objetivo definido com clareza, mas reformas esparsas, afigura-se agora da maior importância uma compreensão plena do processo mediante o qual certas medidas podem destruir as bases de uma economia de mercado, e asfixiar gradualmente o poder criador de uma civilização livre. Só compreendendo por que e como certo tipo de controle econômico tende a paralisar as forças propulsoras de uma sociedade livre, e que espécie de medidas são em particular perigosas nesse campo, poderemos esperar que as experiências sociais não nos conduzam a situações que ninguém entre nós deseja.

Precisamos PARAR com isto!
 
VOTO NULO DE CABO A RABO!

Chega Dilmaldade!

Campanha pelo VOTO NULO a partir de agora!

NINGUÉM LÁ POR UNS TEMPOS É UM DESCANSO PARA O POVO.

MELHOR VAZIO DO QUE MAL OCUPADO!

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe uma resposta, sua colaboração é sempre muito bem-vinda.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: